O PINHÃO. QUANDO APARECERÁ O FRUTO?

O PINHÃO. QUANDO APARECERÁ O FRUTO?

 

“... a qual dá o seu fruto na estação própria...” (Salmo 1:3)

 

 

Em muitas ocasiões, com uma mentalidade ainda infantil, questionava (e ainda questiono) o Pai. Diversas vezes eu o perguntava: “Até quando Senhor? Quando o fruto aparecerá? Quando o que foi plantado será colhido? Por que as coisas não se resolvem logo?” Somos seres humanos. Apesar de termos consciência de que Deus tem e quer o melhor para cada um de nós no seu devido tempo, caímos em questionamentos porque esperamos que tudo ocorra dentro dos moldes que pré estabelecemos (no tempo que determinamos). Atualmente, em nossos dias, é mais difícil saber esperar. A vinte anos atrás, esperávamos meses e até anos para que um filme lançado nos Estados Unidos viesse a ser transmitido nas emissoras de nosso país. Hoje, em muitos domicílios de classe média é possível fazer um download de qualquer filme e em questão de minutos se vê o mesmo na tela do computador. Uma correspondência que levava semanas e até meses para chegar ao seu destino, hoje através de um e-mail é quase instantaneamente recebida. Tudo se tornou mais rápido e achamos que no âmbito espiritual deve igual.

Recentemente vi na televisão uma reportagem sobre frutos aonde os agricultores, mediante técnicas, estimulavam a planta a desenvolver o seu fruto em um tempo menor, e assim antecipavam a sua colheita. Diante disso, era possível ter duas safras ao ano. No entanto, o consumidor final desse fruto percebia que o mesmo não tinha o seu genuíno sabor e os seus nutrientes eram relativamente inferiores do que os dos frutos gerados da forma convencional. Ao ver isso, pensei comigo mesmo: “Não adianta eu forçar um fruto antes do tempo.” O seu sabor será percebido. “Não adianta mostrar um fruto falso como aqueles de plástico ou cera que ficam de enfeite nas prateleiras de cozinha.” Ser um cristão de aparência. “Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.” (Mateus 7:20)

Não é forçar um fruto, mas é gerar (naturalmente).

Não é pela minha força (obras pessoais), mas fruto de Tua graça em mim.

Cada um de nós tem sua peculiaridade, sua individualidade, seu crescimento e desenvolvimento. Cada um dará o seu fruto no seu tempo conforme a necessidade do Reino do Senhor aqui neste planeta. Imaginem um mundo só com laranjeiras? Ou só com limoeiros? Para mantermos a nossa integridade fisiológica precisamos de vários tipos de nutrientes que não são encontrados em apenas um fruto. Cada fruto tem a sua devida estação, e se analisarmos, isto foi feito para o bem estar do homem aqui na Terra. Algumas espécies de arvores se desenvolvem mais rapidamente. Outras têm um crescimento mais lento, mais isso não é porque a primeira é melhor que a segunda, cada uma tem sua característica individual.

Em muitos movimentos exige-se de um recém convertido um fruto que Deus ainda não esta esperando dele, e a plantinha recém germinada acaba se desanimando. Não existe um padrão especifico. Também não devemos ter pensamentos do tipo: “Ah! Ainda não é o tempo de Deus...” E ficar postergando algo que o Senhor já esta esperando de nós. “... árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidas...” (Judas 1:12)

A alguns tempo atrás, visitei uma irmã minha que mora no interior. Seu marido me levou para a parte de traz do terreno deles e mostrou-me as arvores que havia lá. Bergamoteira era a que mais tinha, mas o que me chamou a atenção era um pinheiro que estava no terreno ao lado. Perguntei para o meu cunhado: “Este pinheiro ainda não deu pinhão?” Era maio, mês que nasce a pinha (uma bola redonda cheia de pinhões), fruto peculiar da Região Sul. Diante da pergunta que fiz, ele me respondeu: “Não! Este pinheiro ainda é muito novo. Ele precisa de pelo menos vinte anos para começar a dar pinhão.” O pinhão é um alimento muito conhecido dos gaúchos. Nasce no inicio do inverno e é muito calórico (cerca de 500 calorias para cada 100 gramas de pinhão). O pinhão acaba sendo ótimo recurso para o gaúcho enfrentar os dias frios, pois ele proporciona resistência e energia para o organismo. No entanto, o pinheiro precisa de um longo e exaustivo tempo para começar a gerar a pinha.

Toda arvore plantada demora algum tempo para começar a gerar o seu fruto. Não se desanime se as coisas são mais lentas. Talvez você seja um pinheiro e seu fruto abençoará muitos dando resistência e energia nos momentos mais difíceis daqueles que estão a sua volta.